Resíduos Sólidos Orgânicos


Você sabia que o Brasil em 2015 gerou um montante de anual de quase 78,3 milhões de toneladas (ABRELPE, 2015)?! Você sabe o que compões a maior parte desse volume? então fique atento e boa leitura

Origem da Matéria Orgânica

A matéria orgânica é proveniente de restos de frutas, verduras, legumes, flores, plantas e restos alimentares, que por meio do processo de compostagem podem ser reutilizados como fertilizantes, aumentando a taxa de nutrientes no solo e a qualidade da produção agrícola.

Composição do Lixo Domiciliar Brasileiro

Os resíduos orgânicos assumem uma composição majoritária no montante total de resíduos gerados. A composição percentual média do lixo domiciliar brasileiro varia de 52 a 60% de matéria orgânica, o resto varia entre, vidro, metal, plástico e papel, entre outros. A porcentagem da produção de matéria orgânica de uma população pode estar ligada as condições sócio-econômicas da mesma. Em vista da grande porcentagem de resíduos orgânicos produzidos pelos brasileiros, procurou-se desenvolver formas de aproveitamento destes rejeitos, uma destas formas é a compostagem.

Compostagem

A compostagem consiste no processo biológico de valorização da matéria orgânica, seja ela de origem urbana, doméstica, industrial, agrícola ou florestal, e pode ser considerada como um tipo de reciclagem do lixo orgânico, onde os micro-organismos são responsáveis pela degradação. A escolha do local para compostagem deve ser preferencialmente de fácil acesso e próximo a uma fonte de água (para facilitar a rega), bem como colocar sobre a terra uma superfície impermeabilizada. Existem alguns materiais que não devem ser usados na compostagem, como: madeira tratada com pesticidas contra cupins ou envernizadas, vidro, metal, óleo, tinta, couro e plástico.

Resíduos orgânicos e a legislação brasileira

A lei nº 12.305/10, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) é bastante atual e contém instrumentos importantes para o enfrentamento dos principais problemas ambientais, sociais e econômicos decorrentes do manejo inadequado dos resíduos sólidos. A lei institui prevenção e a redução na geração de resíduos, tendo como proposta a prática de hábitos de consumo sustentável. Cria metas importantes que irão contribuir para eliminação dos lixões e institui instrumentos de planejamento. A lei sancionada incorpora conceitos modernos de gestão de resíduos sólidos e se dispõe a trazer novas ferramentas a legislação ambiental brasileira. Ressaltam-se alguns desses aspectos como: gestão integrada dos resíduos sólidos, responsabilidade compartilhada, logística reversa, inclusão social de catadores.

Referencias: Ministério do Meio Ambiente (2017) Secretaria do Meio Ambiente (2005)

Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil (2015)


1 visualização0 comentário